quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

TOTAL SOBERANIA NA SALVAÇÃO (29)



“Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia” (João 6:44).
SEGURANÇA ETERNA: “...e eu o ressuscitarei no último dia”.
         Amigo leitor, nosso Senhor afirma soberanamente que aquele que o Pai lhe entrega na salvação, Ele o ressuscitará no último dia. Todo meu esforço agora consiste em mostrar aos meus leitores o quanto esse assunto é tão importante para o viver daqueles que são realmente crentes em Cristo, porque quando é Deus que opera a graça salvadora, tirando o perdido da morte para a vida, certamente tudo é mudado na vida. Doravante tudo passa a ser visto à luz da ressurreição. Caro leitor, notemos bem os planos da tão grande salvação: O Pai entrega o pecador ao Filho e a promessa do Filho é que Ele há de ressuscitar.
         Pretendo dinamizar esse assunto. Pergunto se há algo melhor do que isso? Nas afirmações categóricas do Filho de Deus há necessidade de alguma correção? Pode alguém produzir uma salvação melhor do que aquela planejada na eternidade e conquistada pelo Filho na cruz do calvário? Procuro ressaltar essa verdade porque estou certo que a finalidade de satanás é apresentar ao mundo um evangelho moderno, mais humanizado e cheio dos gostos da carne, exatamente como estamos presenciando em nossos dias. Se você, caro leitor, almeja conhecer a verdade da salvação eterna, é importante que sua mente seja arrancada desse covil de mentiras e que seu coração seja elevado às alturas do conhecimento de Cristo. Claramente vemos como nosso Senhor, com suas palavras ataca e destrói os verdadeiros inimigos; vemos como o glorioso Senhor veio ao mundo para destruir as obras do diabo.
         Em Suas Palavras nosso Senhor mostra que Seus interesses estão centralizadas em coisas eternas e não em necessidades triviais e voltados às ocupações mundanas. Nosso Senhor não tem em vista mudar este mundo fadado à destruição. A salvação em nada contém qualquer sabor que atrai o gosto da carne; sua aparência é desagradável às multidões. Notemos bem como Cristo toca naquilo que ninguém pode tocar; que lida com aquilo que o mundo ignora e nem sequer chega aos corações dos sábios, ricos e fortes.
         Ora, o mundo quer ouvir falar de saúde, de dinheiro, de fama, de glórias, paixões e todo tipo de prazer que envolve a carne. Mas nosso Senhor apaga toda essa esperança inútil quando afirma que Seu plano para aqueles que o Pai lhe entrega é a ressurreição. O mundo gosta de ouvir falar disso? Jamais! Tesouros da eternidade conquistados por Cristo não fazem parte do currículo desta vida vaidosa. O brilho da glória eterna, brilho esse que envolve a mensagem do evangelho afugenta a multidão. Mas, note amigo como o Senhor em Suas Palavras mostra que veio destruir a morte. Nessa declaração: “...e eu o ressuscitarei no último dia” nosso Senhor está pegando esse cenário mundano, tão enganador, cruel e homicida e rasgando-o como se faz com papel. Noutras Palavras, Ele está destruindo tudo aquilo que fora montado com a entrada do pecado.
         Caro amigo dê uma olhada nesse mundo e veja o cenário de horror, de trevas e de morte! Veja como a verdade nos mostra que somente Deus pode fazer o que Ele está fazendo ao salvar os perdidos! Veja amigo, somos chamados a contemplar, não as recompensas deste mundo, mas sim os tesouros eternos! Somos chamados a mirar o que está além desta vida passageira, a fim contemplar como Cristo na cruz derrotou o pecado e todos os seus drásticos e eternos resultados, como o reino do diabo neste mundo, o domínio da morte em toda sua extensão e a força aterrorizante do inferno.
         Caro leitor é esse o evangelho que você tem buscado? Ó, quanto anelo que esses tesouros da alma estejam em seu coração!   Eu sei que a mensagem do evangelho é tão humilhante, mas é a verdade que precisamos ouvir, pois Cristo veio ao mundo para tirar pecadores da destruição eterna: “...para que todo o que Nele crê não pereça”

Nenhum comentário: